Últimas

Elenlindäle mescla literatura, cinema e experimentações sonoras em novo projeto chamado Na Colonia Penal. É o mais novo álbum do grupo e já está disponível no bancamp da Kowa e nesse projeto, a ideia e o conceito por trás do texto de kafka faz com que lidamos e analisamos sobre máquina que está presente em nós. Uma mistura agonizante entre frases e ruídos é explicitado em nossos ouvidos e quando isso ocorre, há aquela mescla da literatura e a tortura em nós.
























A oficina tem como objetivo construir um sintetizador analógico Little Bass. Este é um instrumento musical caseiro construído por meio de circuitos eletrônicos, com uma linguagem de programação primitiva em que a magia está em criar um zoológico não lógico de sons animais minimalistas. Não é necessário conhecimentos prévios de eletrônica. 

Acontecerá em Porto Alegre no dia 26 de novembro.
Público Alvo: Pessoas curiosas pela eletrônica doméstica.



Mais informações aqui:
Evento



Elenlindäle é o último sussurro das estrelas conforme podemos observar no lançamento realizado pelo selo em agosto desse ano. O projeto desenvolvido por Elen, aborda temática existencialista e compreendemos as influencias trazidas do cinema e da música erudita conforme ela mesmo explica em sua descrição sobre o seu álbum e o processo de construção dos sons e observação do ambiente no qual ela está:

Existencialismo na canção das estrelas.

"Enquanto observo o movimento que a brisa faz contra a janela, penso e imagino a compreensão do processo em Kafka. Estou em sua literatura, sempre esteve presente na minha própria consciência essa percepção da culpa, de julgamento proeminente e existente, saliente em meus olhos sob o mundo que me persegue. Franz era franzino e tristonho. Acompanhado da sua capacidade de obervação interior e exterior. Ele, também compreendeu aquela situação conforme meu momento. Eu já não possuo o "tempo a favor", agora, eu corro ao encontro da morte. E o julgamento, é a parte no qual, mantenho os pensamentos ativos. Não há redenção!
Como a personagem de alguma dramatização, recordo de momentos onde havia soluções fáceis a serem tomadas mas não obtive coragem em defender tal posição ou não quis mostrar interesse visível aos meus conhecidos, não que eu tenha resistido ao cruel frio da manhã, não quero que pensem sobre esse momento como algo a ser resgatado, eu compreendi a existência e respondo pelos meus próprios atos de soberba nesse exato momento. No vazio há tudo que preciso para existir, há uma quantidade superestimada de ideias onde me perco com as batidas do relógio. Marcando a hora e o tempo que não existem mais. A correnteza é sempre mais forte durante a noite. E eu resisto perante minha desobediência e esse é o destino, a responsabilidade, é o processo que o juiz no qual, regente do destino, nos oferece. O Absurdo é isso."


Signos PUB recebe no dia 30 de novembro mais uma noite de experimentalismo com a artista argentina RRAYEN.
Ela tem desenvolvido um projeto onde se utiliza como instrumento consoles de games "ultrapassados" abordando um novo formato para a composição experimental com itens colocados para fora do uso comercial. RRAYEN tem realizando um tour pela América latina e estará em Porto Alegre no final do mês junto com os artistas da Daniel Tree, Non Human e Sterea. O Evento organizando pelo majestoso Daniel Villaverde  começará às 20 horas na rua R. Joaquim Nabuco, nº 272 na Cidade Baixa e tem como valor de entrada R$10.

Mais infos, poderá ler essa excelente matéria aqui!